07/02/2018

Você definitivamente deveria assistir Game Shows Japoneses com seus filhos


Eu não sei como é a rotina de programas de TV na sua casa, mas não acredito que seja muito diferente da minha. Você tem as suas séries e programas preferido, seu marido os dele, e seus filhos seus próprios programas e são eles que monopolizam a maior parte do tempo na TV ou Youtube, eu diria que 80% do tempo, acertei?


Pois é, atualmente é difícil encontrar algo que envolva toda a família. Quando um está assistindo TV o outro está no celular, no Facebook, ou envolvido com outras coisas. Mas é importante que você encontre algo que envolva todo mundo de forma divertida. Minha sugestão: Game shows japoneses!

Quem não se lembra do programa passa ou repassa, com sua torta na cara, ou o programa supermarket onde três equipes respondiam perguntas dentro de um supermercado, ou os games do programa Silvio Santos e a antiga Ponte do rio que cai? A galera que assiste Minecraft nunca entenderá o que é assistir e brincar com o Hugo. * Nostalgia *

Se você é dessa época experimente pesquisar no Youtube sobre Japanese Game Shows. Eu assisti por um acaso com o Marcus e a Sara e gente, eu morriiiiiiii de rir, mas eu ri muuuuito, muito muito, de chorar.
Esses jogos japoneses, mesmo, que você não entenda uma palavra, podem ser muito divertidos. São vídeos bem curtinhos e tranquilos de assistir. Alguns são bem bizarros ( fuja deles ) mas tem outros muito divertidos. Eu gostei muito do tetris humano, tinha um que os participantes precisavam ficar sobre uma torre enquanto escolhiam opções e vencia o último a ficar de pé. É muito divertido. Um dos vídeos mais populares é o da escada escorregadia, em pouco tempo você já estará torcendo por uma cor. Incentive seus filhos a fazerem o mesmo. Vibre com eles. Analise as estratégias adotadas pelos participantes. Coloque prendas para quem perder, cair ou escorregar, como 10 polichinelos, 5 flexões e o mais importante: divirta-se em família mas NÃO TENTEM ISSO EM CASA :D

31/01/2018

Festa de aniversário tema: As coisas preferidas da Sara

No dia 10 de janeiro Sara fez 3 anos, e apesar de eu sempre dizer que não farei mais festas porque além de gastar dinheiro dá um trabalhão, o sorriso e a alegria dela sempre faz tudo valer a pena. 

Encontrar o tema da festa de 3 anos não foi uma tarefa muito simples pois a Sara sempre estava mudando de ideia. Uma hora queria Mickey, em outra a Minnie, a Frozen, ladybug, brinquedos... cada festa que ela ia, um tema novo surgia. 
Aí, conversando com a minha amiga e decoradora maravilhosa sobre isso, a Fabiane Almeida, ela me disse: Brena, se a Sara gosta de muitas coisas então faremos a vontade dela: A festa será "As coisas preferidas da Sara". A Fabi é incrível em fazer festas criativas. O tema que você quiser ela faz, e se não existe, ela cria. E assim nasceu o tema dos 3 anos da Sara.

Sara gosta de muuuitas coisas, e entre as suas coisas preferidas estão Mickey e Minnie, Frozen, Frutas, Sacolé, Pipoca, Pinguins, Ladybug, Animais, comidinhas... e tudo isso foi representado carinhosamente em detalhes da sua festa.  No fundo ainda havia um painel lindo de fotos com recordações desses 3 anos incríveis que passamos ao lado de Sara Sardinha. Pra se emocionar sempre que ver.

Teve sacolé gourmet da Fê, buffet de pipocas da Maria Pipó, a presença da Elsa e da Anna da Lia Freitas Entretenimento, docinhos da Lu Braga, doces da Vip Doceria, tudo isso com uma linda decoração da Fabiane Almeida e registrado pela minha amiga, maravilhosa, fotógrafa talentosíssima Andrea Paes.

De brindes entreguei kit de brinquedos para brincar na festa mesmo com bolinhas de sabão gigantes, livro de histórias, joguinhos de cartas e corda pra pular. Teve também, bolão cheio de brinquedinhos como antigamente e ainda um Olaf de pelúcia entregue pelas próprias princesas. Claro que as crianças amaram.

Foi uma tarde de verão, animada, em meio a um delicioso churrasco com brincadeiras, pé na areia, bolinhas de sabão, muita alegria e diversão. Criando memórias, porque da vida é só isso que a gente carrega: nossas lembranças. 

Veja como foi:

 

comidinhas 





As frutas preferidas da Sara Sardinha
Frozen e a torre eiffel representa a ladybug




Os pinguins porque a mamãe amaaaa pinguiiiiiim


Docinhos da Lu Braga
 



animais

Bolão, como nas festas infantis de antigamente ♥

Quando o bolão estoura, ninguém segura rs



as princesas contando histórias

Nosso amor




A reação dela quando viu a mesa pronta





Vendo as fotos do mural



Anna da Lia freias entretenimento

a reação das crianças quando viram a Anna


amo demaaaais

Pipocas da Maria pipó





os Olafs entregues pelas princesas

bolinha de sabão nos kits de brinquedos para brincar na hora mesmo


Sacolé da Fê




24/01/2018

Saiba a importância de atualizar a caderneta de vacinação das crianças antes do início do ano letivo

Volta às aulas: saiba a importância de atualizar a caderneta de vacinação das crianças antes do início do ano letivo

 

 
Com o início do ano letivo, cresce a preocupação dos pais com as medidas necessárias para prevenir doenças e garantir o bem-estar de seus filhos nas salas de aula.¹ Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os cartões de vacinação dos alunos precisam estar em dia. Caso alguma vacina esteja em atraso, deve-se atualizá-la de forma urgente para prevenir casos de doenças contagiosas, considerando o convívio em ambientes coletivos.¹
“Medidas preventivas devem ser adotadas pelos pais e responsáveis, e mesmo pelas escolas, para evitar contágios indesejados. Se houver vacinas em atraso e não se aproveitou o período das férias para colocá-las em dia, não se deve perder tempo.¹ Não se vacinar ou impedir que as crianças e os adolescentes o façam pode causar enormes problemas para a saúde pública, como o surgimento de doenças graves ou o retorno de agravos de forma epidêmica, como a poliomielite, o sarampo, a rubéola, entre outros²”, alerta a Dra. Evely Tanaka, pediatra e gerente médica de vacinas da GSK.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação em massa evita entre 2 milhões a 3 milhões de mortes por ano e é responsável pela erradicação de várias doenças.² No Brasil, graças à cobertura vacinal, iniciada na década de 1970, a varíola foi eliminada no país em 1973; a poliomielite, em 1989; e a transmissão de sarampo dentro do mesmo território, em 2001.2
O Ministério da Saúde disponibiliza no Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no Calendário Nacional.3
Atualmente, são disponibilizadas pela rede pública de saúde, de todo o país, cerca de 300 milhões de doses de imunobiológicos ao ano, para combater mais de 19 doenças, em diversas faixas etárias3 como: BCG (para prevenção da tuberculose em crianças); HPV (vírus do papiloma humano); Pneumocócica (contra a infecção por pneumococo que causa meningite, pneumonia e infecção de ouvido - otite); Febre Amarela; VIP/VOP (vacina inativada e vacina oral contra poliomielite – paralisia infantil); Hepatite B; Penta (vacina contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecção por Haemophilus influenzae); Rotavírus; Hepatite A; Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela - catapora); Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); Dupla adulto (difteria e tétano); e dTpa (difteria, tétano e pertussis - coqueluche), e Meningite C (conjugada).4-7
Porém, além das vacinas disponíveis na rede pública, temos as vacinas da rede privada e, entre essas duas redes, existem algumas diferenças.5-7 O sistema público de saúde tem como objetivo a proteção coletiva e erradicação de doenças e para isso, necessita de altas coberturas vacinais. Já o calendário privado foca na proteção individual, ou seja, que o indivíduo faça o esquema vacinal necessário para obter a proteção máxima contra a doença.10-12
Portanto os calendários da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Imunizações são diferentes do Calendário do Programa Nacional de Imunizações, pois possuem esquemas vacinais com doses adicionais e contemplam vacinas não disponíveis na rede pública. 5-7 Veja, abaixo, essas diferenças:
Meningococo: o PNI só disponibiliza a vacina contra o meningococo C, sendo que existem outros sorogrupos que também são responsáveis por causar doença meningocócica invasiva.8 Tendo isto em vista, os calendários da SBIm e da SBP recomendam 2 ou 3 doses da vacina meningocócica conjugada ACWY dos 3 aos 7 meses e mais dois reforços da vacina ACWY durante os 12-15 meses e 4-6 anos.5-7
O calendário do PNI não contempla a vacina pra o meningococo B, porém a SBIm e a SBP recomendam três doses no primeiro ano de vida, mais um reforço aos 12 meses, ou duas doses a partir de um ano de idade5-7.
- Gripe (Influenza): SBP e SBIm preconizam duas doses para influenza a partir dos 6 meses de idade. Após isso, doses anuais são aconselhadas para todas as idades.5-7 No PNI, a vacina só está disponível para determinados grupos: indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, trabalhadores da saúde, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, os funcionários do sistema prisional e professores das escolas públicas e privadas.
Além disso, na rede privada, está disponível a vacina contra gripe causada por 4 tipos de vírus (tetravalente). Já no PNI, só tem disponível a vacina contra a gripe causada por 3 tipos de vírus (trivalente).9
- Hepatite A: o PNI disponibiliza apenas uma dose, e a SBP e SBIm recomendam duas doses (aos 12 e 18 meses). 5-7
- Varicela/Catapora: o PNI disponibiliza apenas 1 dose contra Varicela.7 Os calendários da SBIm e da SBP recomendam duas doses da vacina (12 e 15 meses para SBP, 12 e 15-24 meses para SBIm).5,6
- Em relação à vacina dTpa (difteria, tétano e pertussis – coqueluche), no PNI ela está disponível somente para gestantes, enquanto que a SBP recomenda reforço aos 4 anos de idade e a SBIm, reforço dos 4 aos 5 anos, dos 9 aos 10 anos, e a cada 10 anos após a última dose, caso tenha sido feito o esquema básico completo.5-7
- Outra diferença importante é a recomendação para a vacina pneumocócica conjugada, pois no PNI são duas doses, aos 2 e 4 meses, e um reforço aos 12 meses, que é o esquema 2+1. Já a SBP recomenda o esquema 3+1, três doses, aos 2, 4 e 6 meses, e um reforço aos 12 meses. No calendário da SBIm o esquema é 3+1 com o reforço dos 12 aos 15 meses.5-7
- Pentavalenteno PNI existe a vacina pentavalente que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e Haemophilus influenzae do tipo b. No sistema privado existe a vacina hexavalente que protege contra difteria, tétano, coqueluche, poliomielite 1, 2 e 3, Haemophilus influenzae do tipo B e hepatite B.5-7
 
Para mais informações: www.casadevacinasgsk.com.br
 
 
Sobre a GSK
Uma das indústrias farmacêuticas líderes no mundo, a GSK está empenhada em melhorar a qualidade de vida humana permitindo que as pessoas façam mais, sintam-se melhor e vivam mais. Para mais informações, visite www.gsk.com.br.
 
 
Referências:
 
  1. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Volta às aulas: Sociedade Brasileira de Pediatria divulga conjunto de recomendações para garantir a boa saúde dos escolares. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/volta-as-aulas-sociedade-brasileira-de-pediatria-divulga-conjunto-de-recomendacoes-para-garantir-a-boa-saude-dos-escolares/>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  2. ​ SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. SBP e CFM alertam a população e os médicos para a necessidade de estar com o calendário de vacinação em dia. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/sbp-e-cfm-alertam-a-populacao-e-os-medicos-para-a-necessidade-da-estar-com-o-calendario-de-vacinacao-em-dia/>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  3. BRASIL. Ministério da Saúde. Surtos de sarampo e rubéola na Europa reforçam a necessidade de vacinação. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/29869-surtos-de-sarampo-e-rubeola-na-europa-reforcam-a-necessidade-de-vacinacao>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  4. PORTAL BRASIL. Dia Nacional da Imunização é comemorado nesta quinta (9). Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2016/06/dia-nacional-da-imunizacao-e-comemorado-nesta-quinta-9>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  5. SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de vacinação da criança: recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2017/2018 [atualizado até 14/07/2017]. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  6. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Calendário de vacinação da SBP 2017. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Imunizacao_-_Calendario_Vacinacao_-_atual_12dez17.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2017.
  7. BRASIL. Ministério da Saúde. Calendário nacional de vacinação 2017. Disponível em: <http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/jpg/2017/dezembro/04/calendario-2017-.jpg>. Acesso em: 18 dez. 2017.
  8. BRASIL. Ministério da Saúde. Pesquisa realizada na base de dados DATASUS, utilizando os limites “FAIXA ETÁRIA” para Linha, “SOROGRUPO” para Coluna, “CASOS CONFIRMADOS” para Conteúdo, “2015” para Períodos Disponíveis, “MM”, “MCC” e “MM + MCC“ para Etiologia, "TODAS AS CATEGORIAS" para os demais itens. Base de dados disponíveis em:< http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/meninbr.def > Acesso em 16 de nov. 2017.
  9. PORTAL BRASIL. Campanha de vacinação contra a gripe começa na segunda-feira (17). Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2017/04/campanha-de-vacinacao-contra-gripe-comeca-na-segunda-feira-17>. Acesso em: 16 de nov. 2017.
  10. BRASIL. Ministério da Saúde. Programa nacional de imunizações (PNI): 40 anos. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 236 p. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/programa_nacional_imunizacoes_pni40.pdf>. Acesso em: 18 dez. 2017.
  11. MARTINS, RM. et al. Critérios da organização mundial da saúde para introdução de vacinas no programa nacional de imunizações. In: BALLALAI, I. Manual prático de imunizações. São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2013. p. 303-10.
  12. ARAÚJO, EM. Vacinação: histórico, conquistas e mitos. In: BALLALAI, I. Manual prático de imunizações. São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2013. p. 03-10.

18/01/2018

Volta às aulas CiS: Cores do Bem

Começou a agitação de volta às aulas por aqui, livros, material, uniformes, mochilas e fomos convidados a conhecer os produtos da CiS e participar da campanha Cores do Bem. 


Essa é uma campanha linda da CiS em parceria com a GRAAC que tem como principal objetivo despertar a atenção das pessoas para a importância da educação e do colorir no desenvolvimento das crianças. É possível sim fazer o bem com trabalho, com esforço, dedicação e a Cis está fazendo isso com seus produtos com essa campanha linda que você também poderá participar ajudando as crianças do GRAACC!
Pra isso, basta que se inscrevam no site:
www.ciscoresdobem.com.br e compartilhem o post no Facebook convidando todos a usarem as cores para o bem e enviar uma frase para as crianças da GRAACC.

As frases selecionadas poderão ir para o mural do bem ao lado de artistas e youtubers colorindo ainda mais a vida das crianças.

Em um mundo onde crianças cada vez mais gastam seu tempo atrás de telas, incentivar a criatividade é um desafio e desenhar é uma das principais atividades na educação infantil, além é claro das brincadeiras. O desenho revela uma forma de se expressar e contribui em vários aspectos, entre eles: coordenação motora, visão, movimentos das mãos, organização do pensamento, construção das noções espaciais e outros aspectos cognitivos muito importantes para a alfabetização

 Quando nos deparamos com o desenho de uma criança, muitas vezes não conseguimos ver uma lógica ou sentido. Porém é no desenho que a criança cria uma cópia fiel da realidade, onde ela imprime seus sentimentos e ideais podendo dar pistas de como a mente da criança se encontra.

Desenhar e pintar é mais uma das muitas coisas que deveríamos aprender com nossos filhos, o adulto geralmente desenha com outras intenções e de forma consciente. Se não é um artista, ele não o faz. Sua atividade gráfica normalmente é reduzida a alguns rabiscos não figurativos .Já as crianças revelam, seu próprio universo de forma própria e espontânea em um mundo de traços e cores.

Adorei os produtos da Cis, e sua proposta. Uma empresa há 20 anos no mercado com mais de 500 itens de qualidade preocupada com a educação e desenvolvimento infantil.

Você encontra os produtos da CiS facilmente nas melhores lojas do Brasil, basta procurar suas caixinhas azuis! 

Não deixem de acessar:




















03/01/2018

Por que seu filho assiste vídeos no youtube

 Como toda criança de 3 anos, a Sara gosta de desenhos como Dora aventureira, Daniel Tigre e de princesas como Frozen e Rapunzel. Mas o que deixa ela muito feliz é assistir vídeos de massinha e baby alive no youtube. Isso me incomoda demais, afinal, não faz o menor sentido pra mim ela parar na frente da TV ou tablet para assistir outras crianças (e até mesmo adultos) brincando ao invés de brincar com os próprios brinquedos.



Me assusta também porque o mundo do conteúdo infantil no Youtube é um abismo. Você começa assistindo a um video da galinha pintadinha e termina assistindo videos de brinquedos e crianças abrindo ovos com massinha ou até mesmo adultos com suas vozes agudas brincando. (não faz sentido eu seeeeeiiii). Isso na melhor das hipóteses, pior, é quando um video inocente te leva a um conteúdo perturbador e grotesco, geralmente inadequado ao público infantil. Nada de sexo ou violência excessiva, que, se aparecem no YouTube, costumam ser removidos ou são restritos para menores de 18 anos. Mas com frequência surgem nos desenhos episódios de tortura, morte, escatologia, sangue, sofrimento, estranheza, entre outras possibilidades que facilmente assustam crianças mais novas.Para um adulto, os primeiros segundos já bastam para identificar o vídeo como uma versão tosca do desenho original. O traço é mais mal acabado, a animação menos sofisticada. Uma criança pequena dificilmente fará esta identificação imediata. A sensação de que algo está errado surge apenas diante dos atos incomuns desempenhados pelas caricaturas.


Diante disso, eu controlo o tempo inteiro o que ela assiste. 
Youtube em casa só é assistido na TV da sala onde posso sempre acompanhar o que está passando. Tablet ou celular apenas em situações de emergência como viagens, passeios de carro ou restaurante. (Ainda assim sempre prefiro levar brinquedos e uso como último recurso). 

Mas, por quê esse conteúdo encanta os pequenos? 


Com os vídeos das crianças entre os conteúdos mais vistos na história do YouTube, cientistas, videomakers e comerciantes estão tentando descobrir o algoritmo para o que faz os telespectadores jovens tão obcecados com eles.

Acontece que as razões pelas quais as crianças estão tão atraídas por vídeos no YouTube e o aplicativo YouTube Kids não são totalmente surpreendentes, mas agora você saberá o por que ele assiste Galinha pintadinha por horas. você saberá o que está acontecendo dentro de seus cérebros enquanto se sentam lá com a boca aberta como você Ouça pela enésima vez, "Mommy Finger, Mommy Finger, onde você está?" (Desculpe.)
  1. Eles adoram estar no comando. Se você tem um bebê, você já sabe disso. A programação do YouTube sob demanda dá-lhes uma sensação de controle.
  2. Eles têm curtos períodos de atenção. Os vídeos curtos são basicamente doces cerebrais. 
  3. Eles são curiosos e adoram surpresas, gostam de coisas fechadas e o prazer de desembrulhar. É por isso vídeos de ovos surpresas fazem tanto sucesso.
  4. Eles são atraídos por cores brilhantes. Eles podem ser hipnotizados por um mapa do tempo, desde que seja semelhante a um desenho animado, bem colorido. 
  5. Eles gostam do familiar. Sim, seu filho, pelo menos por enquanto, provavelmente prefere um elefante terrivelmente desenhado cantando do que filme mais bonito da Disney. Porque o filme tem um enredo mais longo. As crianças pequenas estão predispostas a tornar-se obsessivas em relação a coisas mais curtas.
  6. Eles gostam de assistir as mesmas coisas diversas vezes em uma busca de compreendê-la. Eles estão absorvendo toda essa repetição, e a capacidade de aprender algo novo é gratificante.

Não há consenso sobre se o conteúdo das crianças no YouTube é bom ou ruim para o desenvolvimento. Por enquanto, a maioria dos especialistas diz para tratá-lo como pequenas porções de bolo geralmente são boas, mas é melhor dar-lhes algo mais substancial, como brinquedos reais.

 
Uma menina © | Desenvolvido por Ninamore | Todos os direitos reservados | Ir para o topo!