06/08/2018

7 coisas que mulheres que amamentam fazem (e são bem esquisitas)

1 - Planejar a roupa de acordo com a facilidade de colocar as peitcholas de fora
Eu sei, é bem esquisito! Mas a partir desse momento antes de comprar qualquer roupa testaremos antes o grau de dificuldades de colocar o peito pra fora. Camisas de botões e em decote em V lideram o ranking. Para passar no teste, o ideal é que não demore muito mais de 15 segundos, é o tempo de colocar o peito na boca do bebê sem todos te olharem feio.

2 - Esconder o peito
No início provavelmente se esconderá, procurará lugares calmos e tranquilos. Terá sempre um paninho para cobrir os peitos, o bebê e se pudesse, cobriria você mesma... eu disse no início ok...

3 - Mostrar os peitos
Com o passar do tempo você deixa de se preocupar com o que as pessoas estão pensando, falando ou olhando. Colocará as peitcholas de fora sem medo de ser feliz! Se o bebê chorou, peito nele!!! E se alguém estiver incomodado, joga logo um jato de leite e pronto! (ok, a gente não faz isso, mas que dá vontade dá).

4 - Experimentar o próprio leite

Todo mundo diz que não faz, mas mentiraaa... todas já experimentaram. Nem que seja uma lambidinha na mão. (E se você ainda não fez ainda fará, porque você não poderá passar por esse mundo sem saber o gosto desse negócio que seu bebê tanto ama.)

5 - Preocupar-se com a produção

Diferente da mamadeira, não dá pra saber quantos ml seu bebê mamou, então todas em algum momento se preocupará se estão produzindo leite o suficiente, se o bebê mamou o suficiente, se não está com fome, se está ganhando peso. Vai comparar com o filho da cunhada, da amiga, da vizinha. É natural, TODAS fazem!

6 - Julgar
A menos que você seja uma santa, em algum momento você julgou ou julgará uma mãe que não amamenta. Você pode não dizer, mas vai pensar se ela não se esforçou o suficiente, se ela teve ajuda, se ela teve informação e blablabla. Faz parte!

7 - Sentir-se poderosa

No silêncio da madrugada, enquanto amamenta seu bebê ou na visita ao pediatra quando a balança mostrar as gramas ganhas naquele mês apenas com seu leite materno... você se sentirá a mulher mais poderosa do mundo! Seu corpo é capaz de gerar e nutrir um outro corpo. Somos incríveis, temos superpoderes, e ai de quem dizer o contrário.

Mais alguma sugestão de coisas esquisitas que fazemos?




Obs: Esse texto é uma maneira divertida de parabenizar as mulheres que amamentam nesse mês tão especial que celebramos a  Semana Mundial de Aleitamento Materno que tem como objetivo conscientizar as mulheres da importância da amamentação nos primeiros anos de vida do bebê.
Entendo que nem todas podem, conseguem ou querem amamentar e respeitamos todas as mulheres por isso. E acredito que nem amamentação, parto, alimentação, etc faz de nenhuma mãe melhor ou pior. Todas com suas histórias, lutas e escolhas. #estamosjuntas #smam2018

19/07/2018

Catapora: 6 coisas que os pais precisam saber sobre a doença

A vacinação é a principal aliada na prevenção¹



A catapora ou varicela, é uma doença imunoprevenível altamente contagiosa causada pelo vírus Varicella-zóster, que acomete principalmente crianças e tem maior incidência no fim do inverno e início da primavera.1,2 A transmissão pode ser pelo contato com o líquido da bolha formada na pele, pela tosse, espirro e saliva ou por objetos contaminados pelo vírus.²

Todos estão suscetíveis à catapora. Em crianças, geralmente, é uma doença que evolui sem complicações e autolimitada. Já em adolescentes e adultos, o quadro clínico pode ser mais exuberante.³

Segundo a Dra. Bárbara Furtado, pediatra e gerente médica de vacinas da GSK, em crianças, a catapora não gera complicações na maioria dos casos, mesmo assim pode causar grande incômodo. “Impedir os pequenos de coçarem as bolhas e lesões é muito difícil. A coceira pode provocar feridas e desencadear uma infecção bacteriana. Outras complicações, que podem levar à internação, são pneumonia e o comprometimento do sistema nervoso”4, alerta a Dra. Bárbara Furtado.

Entre 2012 e 2017 foram notificados 602.136 casos de varicela no Brasil. A região Sul notificou o maior número com 199.057 (33%) dos casos, seguido da região Sudeste com 189.249 (31,4%), enquanto a região Norte notificou apenas 40.325 (6,6%). A faixa etária com a maior frequência de casos notificados foi de 1 a 4 anos com 227.660 (37,8%), seguido de 5 a 9 anos com 179.592 (29,8%). 5

    1) O que é catapora?


A infecção, causada pelo vírus Varicella-zóster, é altamente contagiosa e fácil de ser diagnosticada devido às erupções características na pele. Elas surgem como manchas vermelhas por todo o corpo, incluindo nas mucosas (boca e região genital). Elas coçam e evoluem para vesículas (bolhas), mas não ao mesmo tempo. Isso faz com que a pessoa apresente erupções em diversas fases: manchas, bolhas e crostas. Além disso, quando a pessoa se infecta, esse vírus fica “adormecido” no organismo. No futuro, principalmente a partir dos 50 anos, poderá provocar o herpes zóster, também conhecido como cobreiro. 4

  2)  Como ela pode ser prevenida?

A catapora é facilmente transmitida para outras pessoas e uma forma de evitar a doença é com a vacinação1. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam duas doses da vacina contra a varicela: a primeira aos 12 meses e a seguinte a partir dos 15 meses de idade, com um intervalo de 3 meses da primeira dose.6,7

  3)  Quais são os sintomas mais comuns?

Os sintomas da catapora, em geral, começam entre 10 e 21 dias após o contágio da doença. Além de manchas vermelhas e bolhas no corpo, a doença também causa mal-estar, cansaço, dor de cabeça, perda de apetite e febre baixa. As bolhas surgem inicialmente na face, no tronco ou no couro cabeludo, e se disseminam pelo corpo, transformando-se em pequenas vesículas cheias de líquido. Em poucos dias, o líquido escurece e as bolhas começam a secar e cicatrizam. Este processo causa muita coceira, e as lesões na pele podem ser infectadas pelas bactérias das unhas ou de objetos utilizados para coçar. A principal complicação da catapora é a infecção na pele, mas a doença também pode causar infecções no ouvido, pneumonia e encefalite.2

    4) Depois do contato com o vírus, em quanto tempo aparecem os sintomas?

O período entre o contato com o vírus e o aparecimento dos sintomas é de 4 a 16 dias e a transmissão se dá entre 1 a 2 dias antes do aparecimento das lesões de pele e até cerca de 6 dias depois, quando todas as lesões normalmente se encontram na fase de crosta. Deve-se afastar a criança da creche ou escola por cerca de 7 dias, a partir do início do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.2

   5)  Como é o tratamento da catapora?

No tratamento da catapora, em geral, são utilizados medicamentos específicos recomendados pelo médico para aliviar a coceira, a dor de cabeça e diminuir a febre. Os cuidados de higiene são muito importantes e devem ser feitos apenas com água e sabão. Para diminuir a coceira, o ideal é fazer compressa de água fria. As vesículas não devem ser coçadas e as crostas não devem ser retiradas. 2

    6) É possível contrair catapora mais de uma vez?

Normalmente, as pessoas que tem a doença uma vez ficam imunes para o resto da vida. Porém, uma segunda ocorrência pode acontecer, particularmente, em pessoas com deficiência no sistema imune.8

Publicação em parceria com a GSK:  Uma das indústrias farmacêuticas líderes no mundo, a GSK está empenhada em melhorar a qualidade de vida humana permitindo que as pessoas façam mais, sintam-se melhor e vivam mais.

Referências:

    CASTIÑEIRAS,TMPP. et al. Varicela. In: CENTRO DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE PARA VIAJANTES . Disponível em: . Acesso em: 26 jan. 2018.
    BRASIL. Blog da Saúde. Doenças da infância: catapora, 2015. Disponível em: <http://www.blog.saude.gov.br/35092-doencas-da-infancia-catapora.html>. Acesso em: 25 jan. 2018.
    BRASIL. Ministério da Saúde. Varicela/herpes zoster. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/varicela-herpes-zoster>. Acesso em: 25 jan. 2018.
    SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Catapora (varicela). Disponível em: <https://familia.sbim.org.br/doencas/84-catapora-varicela>. Acesso em: 25 jan. 2018.
    BRASIL. Ministério da Saúde. Situação epidemiológica - dados. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/varicela-herpes-zoster/11497-situacao-epidemiologica-dados>. Acesso em: 25 jan. 2018.
    SOCIEDADE BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES. Calendário de vacinação da criança: recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2018/2019 [atualizado até 27/03/2018]. Disponível em: <https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf>. Acesso em: 4 maio. 2018.
    SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Calendário de vacinação da SBP 2017. Disponível em: <http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Imunizacao_-_Calendario_Vacinacao_-_atual_12dez17.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2018.
    CDC. Varicella - Centers for Disease Control and Prevention. Pinkbook 2012; 1: 1

25/06/2018

7 brincadeiras divertidas que você precisa fazer com seus filhos

Brincar com brinquedos é ótimo. Mas tem aquelas brincadeiras que todo mundo se diverte não é mesmo? Porque elas vêm carregadas de lembranças da nossa própria infância. E se deixaram marcar em nosso passado, porque não repeti-las, revivê-las e recriá-las com seus filhos? 
A maioria delas são simples, e de graça. Só precisa querer brincar e isso eu não dispenso.

Ficam as minhas dicas de brincadeiras simples e que fazem sucesso por aqui ♥ 



1 - Cabaninha
basta juntar algumas cadeiras na sala e a cabana está formada. Quem sabe você não é convidada pra entrar na brincadeira.

2 - Mímica
estimula a criatividade, melhora  a comunicação e envolve a família inteira. Aproveite!

3 - Gincanas
Lembra da corrida do saco? Ovo na colher? dança da laranja? estourar a bola do outro presa no pé? Que tal reviver tudo isso com seus filhos?

4 - Guerra de bexiga d'água.

Faz bagunça, faz lambança, mas é bom demais!!!

5 - Estátua

Chame todo mundo, coloque a música e divirta-se!

6 - Caça ao tesouro

Esconda um objeto pela casa e coloque as crianças para procurar.

7 - Corrida
Pode cair, pode machucar, mas pode gastar muita energia também.

Portanto, aproveite e seja feliz!
O melhor presente é estar presente!

E aí, qual dessas é a sua preferida?

18/06/2018

Quais são os brinquedos ideais para cada fase do seu filho?

Bebê ou criança? Como saber em que fase seu filho está?  

                                          Confira nossas dicas e brinquedos para cada grupo



Para as mães de primeira viagem sempre fica a dúvida: Até que idade meu filho é considerado bebê? Quando ocorre a transição dessa fase, para a de criança? Não se preocupe, nós vamos te ajudar nesse sentido.

Muitos especialistas acreditam que até os 2 anos os pequenos são considerados bebês. Posteriormente, até os 5 anos, surge o período da primeira infância.

Embora estejam em constante fase de desenvolvimento, nos primeiros anos de vida as crianças precisam de atenção ainda mais dobrada, pois os cinco sentidos do corpo humano ainda estão em formação, por isso, é importante estimulá-los diariamente, assim como entender um pouquinho sobre cada característica desses períodos.

Para colaborar nesse sentido, os brinquedos assumem um papel maior do que a diversão, e contribuem para o crescimento e desenvolvimento infantil. Confira:

    A partir de 6 meses: 

Geralmente, muitos bebês começam a ter dentes a partir dessa fase. Por isso, os mordedores são importantes, porque embora seja comum que os pequenos coloquem a mão e outros objetos na boca, é importante ter produtos próprios aliviar os sintomas de incomodo.


    De 1 até 2 anos: 

Esse período é caracterizado pelo caminhar do bebê. Treinar o equilíbrio constantemente é fundamental e para isso, as famílias precisam estar ao lado. Os andadores além de muito divertidos e educativos, contribuem nesse sentido


    De 3 a 4 anos:

 As crianças dessa idade já conseguem comer sozinhas, embora ainda seja importante estimular a coordenação motora. Os brinquedos educativos assumem um papel essencial, pois colaboram de modo lúdico, seja no encaixe de peças ou distinção de cores e formatos


    A partir de 5 anos: 

Ao completar essa idade, a criança está chegando no fim da primeira infância. Muitas já frequentam a escola e realizam atividades em grupos. Gostam muito de se divertir com água, pois é uma brincadeira muito animada, além de soltar a imaginação.



E aí, qual é o brinquedo preferido do seu filho?


Post feito em parceria com a Loja Cuba, especializada em produtos infantis e que acredita que através da alegria, brincadeiras e diversão podemos construir um mundo muito melhor. Também acredito! ♥


11/06/2018

O casamento e os filhos


 O CASAMENTO E OS FILHOS



Pouco se fala sobre a relação homem x mulher depois dos filhos.
Porque muda, muda muito.
Aquelas noites com vinho e filme não são mais frequentes.
Aquelas viagens de última hora pra qualquer lugar também não.
O sexo ao acordar, no banho, na cozinha e em cima da máquina de lavar... ficam só na lembrança.
Mudou, não se sobra muito tempo quando tem as necessidades de uma terceira pessoa envolvida.

Mas mudar, não é acabar.
Essas mudanças fortalecem e muitas vezes amadurecem a relação.
Se você enxergar com cuidado, perceberá que o romance ainda está ali, vivo de uma forma diferente.

Romance é quando estão todos juntos assistindo Frozen pela milésima vez e sua filha dizer: eu amo muito vocês! E aí vocês trocam aquele olhar de quem está no caminho certo.
Ou quando depois de um dia cansativo e o bebê finalmente dormem, se aconchegam no sofá.
É parar para observar seu parceiro contando histórias e imitando vozes de cada personagem e você sentir um orgulho dele como pai muito maior do que como marido.
É chegar em casa bem tarde depois de um dia longo e a comida estar no micro-ondas enquanto os dois dormem.

E aí você descobre que existe muito romance a ponto de transformá-lo em uma família.
O amor está aí ainda, em pequenos gestos, será que você tem enxergado?

 
Uma menina © | Desenvolvido por Ninamore | Todos os direitos reservados | Ir para o topo!